Governo estadual adota Fase de Transição para o Plano São Paulo

Com a pequena queda de internações nas UTIs de São Paulo, governo adota a fase de transição e flexibiliza a reabertura dos comércios com restrições nos horários de funcionamento

O Governo de São Paulo anunciou no dia 16 de abril, a “Fase de Transição” da Fase Emergencial do Plano São Paulo para a Fase Laranja. Trata-se de uma estratégia para retomar com segurança a economia do estado durante a pandemia de Covid-19.

Entre os dias 18 e 30 de abril, todo o estado de São Paulo permanece em transição da fase vermelha e a fase laranja, o que permitirá o retorno gradual e seguro de todas as atividades. Para saber o que será permitido e as datas acesse: https://www.saopaulo.sp.gov.br/planosp/

Shoppings e lojas de rua – que só eram autorizadas a abrir na fase laranja – já podem operar, das 11h às 19h, com público limitado a 25% da capacidade total. Os bares não estão liberados para atendimento presencial, porém, podem trabalhar como restaurantes – público sentado, serviço de alimentos para acompanhar bebidas – e neste caso, devem seguir as regras de restaurantes.

No dia 24 de abril, poderão reabrir restaurantes, academias, clubes e centros esportivos, salões de beleza, atividades culturais e parques. O toque de recolher permanece o mesmo, entre 20h e 5h.

Motivações

De acordo com o governo do estado, a decisão foi tomada após uma pequena queda na taxa de internações por Covid-19 no estado, que atualmente está com cerca de 85% dos leitos ocupados nas UTIs (antes estava em 92%). A situação ainda é crítica, uma vez que o mês de abril/2021 é o segundo com mais mortes por Covid em São Paulo desde o início da pandemia.

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, disse que a fase de transição não deve ser um estímulo para que as pessoas saiam de casa, apesar da flexibilização de diversos setores. “É preciso que todos nós continuemos com todas as medidas de proteção que são bem conhecidas. O fato de ter sido colocada hoje uma nova fase com duas semanas de transição não significa que nós devemos ir para rua, de forma alguma”, disse Menezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *