O stress corporativo

O stress faz parte do mecanismo de sobrevivência do ser humano. Trata-se de uma resposta fisiológica, psicológica e comportamental que surge quando as pessoas procuram se adaptar as pressões internas e externas da vida. Essa resposta é necessária para enfrentar perigos, obstáculos e desafios.

Depois disso, é importante retornar a um estado de relaxamento para o organismo recuperar o equilíbrio. Caso essa alternância não ocorra, o stress se tornará crônico e, por consequência, a qualidade de vida será negativamente afetada.

De acordo com a coach especialista em executive e business, Karine Bitencourt, os principais sintomas do stress são musculares (dores e incômodos), vegetativos (sistema nervoso, como palpitações, indisposição no estômago/intestino) e mentais (comportamento).

O stress no mundo corporativo

Infelizmente, parece ser cultural o stress no mundo corporativo e constata-se um número muito alto de colaboradores com a síndrome de Burnout (exaustão total relacionada ao trabalho). Inclusive, neste momento de pandemia, no qual os funcionários estão executando as atividades em sistema home-office, os sentimentos de incerteza e insegurança são grandes e, segundo a Associação Internacional de Administração do Stress, hoje no país há 33 milhões de brasileiros com a síndrome.

“É importante que os empresários olhem com cuidado para a saúde de todos os envolvidos no sistema da empresa e para a rotina de trabalho. Geralmente, os donos de empresas atuando apenas ‘apagando incêndios’, reagindo aos acontecimentos do dia-a-dia, sem se dedicar ao planejamento, sem processos estruturados e sem direção. A fim de garantir que todas as demandas sejam feitas e concluídas dentro dos padrões da empresa, sobrecarrega a si próprio e aos colaboradores, gerando frustações por todas as partes”,  alertou Karine.

Para evitar o stress é preciso haver processos

Caso a empresa não tenha processos estruturados, inevitavelmente, haverá um ciclo vicioso, e as atividades sairão erradas e fora dos padrões desejados. A tensão e o nervosismo farão parte do cotidiano, contaminando todo o ambiente corporativos.

Assim, para transformar este cenário é preciso parar. “Parar e olhar para si mesmo e para a empresa; analisar e planejar. Tomar ao leme com firmeza e fazer o que é preciso: criar um planejamento a longo prazo, estruturar os processos, delegar e desenvolver uma liderança engajadora. Nem sempre é fácil, mas é necessário e os resultados são recompensadores”, orientou a coach.

Com processos definidos e estruturados, a empresa começa a faturar mais e com melhor desempenho – menos custos e perdas. O empresário e colaboradores se tornam mais realizados e menos estressados; a equipe adquire mais competência e comprometimento, e a vida, no geral, segue mais saudável e feliz.

“Dedicar-se a combater o stress corporativo exige atenção, dedicação, firmeza no comando e olhar apurado. E, por muitas vezes, o empresário precisa de ajuda para realizar essa empreitada. Para isso, o SEBRAE pode ser um grande agente, com consultores e coaches especializados”, aconselhou Karine.

Mudanças comportamentais são necessárias para tornar um ambiente corporativo mais leve e feliz. Este trabalho tornará a jornada mais próspera e eliminará o stress do vocabulário da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *