Sem barreiras para vencer

Grave bem esse nome – Letícia da Silva Maciel, que em breve teremos a oportunidade de vê-la competir e subir ao pódio das principais competições do atletismo nacional (e quiçá internacional). Com apenas 17 anos, a carreira de Letícia tem crescido a passos largos, fazendo jus a dedicação aos treinos e paixão que ela tem pelo esporte. E pernas não lhe faltam para brilhar nas provas de 400 metros e 400 metros com barreira.

Segundo a atleta – moradora do Bairro Serraria, em Diadema – a vontade de fazer atletismo foi despertada ainda na escola Antonieta Borges Alves, quando o Professor de Educação Física, Victor Caetano, começou a incentivar os alunos a praticarem o esporte. Logo, ela deu os primeiros passos e se apaixonou pela modalidade. “Faço atletismo desde os dez anos e foi nos Jogos Escolares que me destaquei e me convidaram para competir pelo Clube São Caetano, em 2016. Hoje, treino no Clube Iema São Caetano”, falou Letícia.

Desde então, no decorrer de sete anos de esforço e aprendizados, a atleta já participou de várias competições e conquistou excelentes resultados, entre eles: Troféu Brasil 2019 – 3º lugar no revezamento 4 X 100; Campeonato Estadual Caixa de Atletismo – 3º lugar 400 metros com barreiras; Circuito Estadual SESI – 2º lugar 400 metros; Regionais 2019 – Campeã no revezamento 4 X 400 / 3º lugar 400 metros com barreiras / 3º lugar revezamento 4.X.100; Jogos Escolares 2018 – Campeã em Diadema nos 400 metros; Jogo Regionais 2016 – campeã no revezamento 4 X 400 e vice-campeã nos 1.500 metros; e por fim, Circuito FPA – vice-campeã 400 metros com barreiras.
“Disputei muitas corridas e obtive bons resultados, mas essas são as mais importantes para mim”, salientou Letícia, que lembrou do processo de treinamento e crescimento para chegar onde está hoje. “Comecei correndo ‘fundo’ (provas longas) para me desenvolver. Agora, estou em provas de meio fundo e velocidade, onde tenho obtido pleno êxito, com diversas vitórias individuais e em equipe (nos revezamentos)”, declarou a atleta que tem como maiores desafios enfrentar o medo e a ansiedade na hora das competições.

Religiosa, Letícia faz questão de demonstrar sua gratidão a Deus. “Pois Ele é meu refúgio e Fortaleza e, com a permissão dEle, viajarei o mundo por meio do esporte. Quero ser uma grande atleta de Cristo e levar o seu amor por meio do atletismo”, encerrou ela, agradecendo também o apoio da família, do técnico Valdemar Etsuo Nakaue e do Professor Victor Caetano.